Sal, o Vilão da Cozinha

Tempo de leitura: 2 minutos

Conhecido como um dos maiores vilões da saúde, o sal de cozinha é usado em grande quantidade pelos brasileiros, cerca de duas vezes e meia mais que o limite orientado pelos nutricionistas, segundo dados da OMS (Organização Mundial da Saúde).

Quando consumido em excesso, o sal pode trazer diversos problemas para a saúde. Um desses malefícios é a retenção de líquidos, que faz com que o coração e os rins fiquem sobrecarregados, principal causa da temida hipertensão. Doenças relacionadas ao coração, pressão alta, AVC, aumento de peso e cálculos renais estão nessa lista.

A maior concentração de sal pode ser encontrada em produtos que possuem realçador de sabor (ácido guanílico), como azeitonas, picles, patês, enlatados, alimentos em pó, caldos em cubos, embutidos, industrializados carnes e peixes salgados. Esses alimentos não precisam ser cortados da sua dieta, mas evitados sempre que possível.

Qual o problema do sal?

O sal de mesa é também conhecido como cloreto de sódio e o problema está no sódio e não no cloreto. Sabe-se que o sal de mesa tem 40% de sódio, mas ele está presente também em vários produtos industrializados que consumimos diariamente, como pães, queijos, cereais, bolachas, enlatados, etc.

Por que o sal faz mal para quem tem pressão alta?

A elevada ingestão de cloreto de sódio (sal de cozinha) faz o organismo reter mais líquidos e aumentar de volume, podendo levar ao aumento da pressão sangüínea e causar a hipertensão, responsável por infarto e acidente vascular cerebral. O consumo excessivo de sal pode também afetar os rins.

VOCÊ SABIA?

Entre os temperos mais indicados para substituir o sal estão o alho e a cebola. O alho ajuda a diminuir a pressão sanguínea e o colesterol. Já a cebola diminui os riscos de trombose (formação de coágulos sanguíneos nas veias) e aterosclerose (doença inflamatória dos vasos sanguíneos).

A sálvia e o manjericão também são indicados. A primeira fica ótima em massas e aves. Já o manjericão além, de saboroso, acalma os espasmos da digestão. Com o tempo a pessoa vai se acostumando com o novo paladar do alimento, com pouco sal.

Para estimular a mudança de hábitos dos brasileiros, ainda em 2013 entra em vigor uma determinação do Ministério da Saúde, que determina a redução de sódio nos alimentos processados no Brasil.

FONTE: https://www.humanasaude.com.br e http://www.maisequilibrio.com.br

Sobre Instituto da Trombose

O Blog “Sobre Trombose” é um canal interativo que visa esclarecer dúvidas sobre o que é a trombose suas consequências, sequelas e quaisquer outros esclarecimentos que forem pedidos a nossa equipe sobre trombose! Aguardamos seus comentários em nossos posts! E não deixe de curtir nossa página no Facebook para manter-se atualizado!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *