AÇÚCAR: VILÃO OU MOCINHO

Tempo de leitura: 3 minutos

Quando olhamos para as informações nutricionais no rótulo de um alimento, podemos descobrir com facilidade a quantidade de açúcares presentes em cada porção, não é mesmo? Aparentemente sim, já que os “carboidratos” aparecem, bem visíveis, no início da lista. Mas o que muita gente não sabe é que, nos alimentos industrializados, há muitos açúcares “ocultos”, adicionados durante o processamento e que não são necessariamente discernidos nas embalagens.

Segundo um grupo de cientistas norte-americanos, estes açúcares “extra” ocultos nos alimentos são um problema visível de saúde em todo o mundo. Além de tornarem as pessoas mais gordinhas, os açúcares estão, também, deixando-as mais doentes.

Após reavaliarem dados científicos de mais de oito mil publicações, pesquisadores da Universidade da Califórnia em São Francisco, EUA, lançaram uma iniciativa chamada “SugarScience” (ou “Ciência do Açúcar”). Através da divulgação científica maciça de dados mostrando os perigos que o excesso de açúcar traz ao corpo, através do uso da internet e das redes sociais, os cientistas pretendem mudar a alarmante tendência mundial ao sobrepeso e à obesidade, problemas de saúde que são a porta de entrada a doenças ainda mais sérias, como a hipertensão e o diabetes tipo 2.

AÇÚCAR: O DOCE VILÃO?

De acordo com os pesquisadores, até hoje as pessoas sabem, apenas, que açúcar engorda. Poucas têm a noção de que ele gera doenças, como problemas hepáticos, diabetes tipo 2 e uma série de doenças metabólicas, as quais estão surgindo cada vez mais cedo ao longo da vida.

O culpado disso tudo é, principalmente, o açúcar adicional que a indústria alimentícia acrescenta aos alimentos processados. Eles estão presentes em mais de 70% dos alimentos vendidos nos supermercados, são “escondidos” sob mais de 60 nomes diferentes e são, muitas vezes difíceis de identificar nos rótulos.

O QUE ACONTECE COM O CORPO QUANDO COMEMOS AÇÚCAR DEMAIS

Talvez o exemplo mais ilustrativo dos problemas à saúde que o açúcar adicional causa seja o caso das bebidas adocicadas artificialmente, como refrigerantes, sucos e energéticos. Pôr o açúcar estar diluído, ele é processado de maneira muito rápida pelo corpo – em alimentos naturais, é comum haver a presença de fibras, as quais retardam a absorção do açúcar pelo organismo; bebidas como refrigerantes não contêm fibras).

Por exemplo, consumir muito açúcar faz com que a quantidade de açúcar no sangue aumente. Isto provoca uma resposta do pâncreas, que secreta mais insulina, um hormônio responsável por controlar as taxas de açúcar sanguíneo. Porém, insulina em excesso altera o funcionamento de outro hormônio, a leptina, a qual controle o apetite. Acaba ocorrendo em desbalanceamento de informações no corpo, acarretando no acúmulo de gordura no tecido adiposo e à perda progressiva da sensação de saciedade, o que, por sua vez, estimula a comilança. É um ciclo vicioso, dependente do sabor agradável que o açúcar industrializado causa no paladar.

FONTE: http://www.sobrepeso.com.br

Sobre Instituto da Trombose

O Blog “Sobre Trombose” é um canal interativo que visa esclarecer dúvidas sobre o que é a trombose suas consequências, sequelas e quaisquer outros esclarecimentos que forem pedidos a nossa equipe sobre trombose! Aguardamos seus comentários em nossos posts! E não deixe de curtir nossa página no Facebook para manter-se atualizado!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *